Beije-me em Barcelona é apaixonante, diz Nildo Gomes

Secult libera prêmio e Beije-me em Barcelona começa a ser produzido!
31 de março de 2017
Beije-me em Barcelona e seu autor são destaque no site do Ifes Campus Ibatiba
14 de abril de 2017
Show all

Beije-me em Barcelona é apaixonante, diz Nildo Gomes

Através da narrativa o autor vai mostrando que sua trajetória não é o caminho perfeito, como todos nós gostaríamos que fosse o nosso em direção ao crescimento e à maturidade, mas, ao se revelar, ensina com o romance que mesmo alguém que comete erros pode ter a honra de reconhecê-los e a coragem de fazer o caminho de volta, de corrigi-los e refazer a estrada.

Nildo Gomes é capixaba, autor de Um Conto de Inverno e Autor de As Crônicas de Kallahas.

A narrativa de “Beije-me em Barcelona” não poderia ser mais prazerosa e agradável, além de simples e leve. Tudo ao mesmo tempo. A obra trata da retomada de um sonho, de uma história de amor e paixão. E é apaixonante. Fala de um rapaz tímido, inteligente e perspicaz que, de repente se vê completamente apaixonado por sua antiga namorada e a quem, de muitas maneiras, decepcionou. Sem saber o que fazer em relação a isso, de uma hora para outra revela suas questões – a acaba por revelar muito de si também – aos novos amigos (que ele trata como velhos amigos, porque assim é o seu coração: fiador, confiante, puro).

A obra trata de um recomeço, com tudo o que um recomeço envolve: medos, temores, ansiedade e esperança. E é precisamente isso que torna essa obra tão singular. Não há heróis. Não há vilões. Há apenas a jornada para reconquistar o grande amor de uma vida, que em algum momento se perdeu. E em meio a uma viagem meio maluca e ao mesmo tempo emocionante, recheada de amizades descobertas, risos e muito companheirismo, chega ao fim com um final mais do que esperado.

Através da narrativa o autor vai mostrando que sua trajetória não é o caminho perfeito, como todos nós gostaríamos que fosse o nosso, em direção ao crescimento e à maturidade. Mas, ao se revelar, ensina com o romance que mesmo alguém que comete erros pode ter a honra de reconhecê-los e a coragem de fazer o caminho de volta, de corrigi-los e refazer a estrada.

As ruas, os lugares, os monumentos, as obras arquitetônicas – talvez fosse melhor dizer obras de arte – tudo faz com que o leitor esteja ali, no mesmo lugar, no mesmo hostel, nas mesmas ruas, nos mesmos bares, enfim, na mesma aventura na qual se encontram os personagens. Além do mais, a descrição do percurso, com todas as informações históricas acerca dele, não deixam dúvidas quanto à formação do autor: um historiador. Um historiador apaixonado, um tanto homem, um tanto menino.

O fato é que não se consegue parar de ler, uma vez tendo começado. Eu mesmo o fiz em uma noite, literalmente. Só parei as seis horas da manhã. De certa forma, essa é a história que todos nós gostaríamos de viver. Uma história que revela muito mais de nós mesmos do que talvez estejamos acostumados a perceber.

Beije-me em Barcelona, e “Espere por mim, se me ama”, eu diria, são as coisas mais deliciosas de se ler e ouvir nessa obra. Fascinante!

Fabio
Fabio
Historiador, doutor em História pela Univerdade do Minho em Portugal e criador do site Spirito Sancto (http://spiritosancto.org), onde compartilho documentos históricos do Espírito Santo. Fotógrafo amador e nerd assumido, comecei a investir em literatura em 2016, quando escrevi meu primeiro romance, Beije-me em Barcelona.

Deixe um comentário