Qual é a sua história? – Como escrever seu livro! #1

Introdução – Como escrever seu livro! #0
19 de abril de 2017
Conheça Kyanja Lee, a revisora que deixou meu livro ainda melhor.
28 de abril de 2017
Show all

Qual é a sua história? – Como escrever seu livro! #1

Uma das coisas mais difíceis para escritores iniciantes é explicar sobre o que sua história é. Aprenda aqui a criar a descrição perfeita para a sua história em uma única frase matadora, além de um título arrebatador que irão ajudá-lo a desenvolver um livro ainda melhor e vender a sua ideia muito mais facilmente!

#1 – Qual é a sua história? (26/04/2017)

Uma das coisas mais difíceis para escritores iniciantes é explicar sobre o que sua história é.

Sabe quando alguém pergunta para você, ou você pergunta para alguém: “seu livro é sobre o que?”, e a pessoa fala um monte de coisas mas, no final, não diz o que o livro realmente é? Quando você quer vender uma ideia, a outra pessoa nem sempre tem tempo pra ouvir explicações longas e vagas. Imagina que você vai falar com uma editora grande. Será que ela vai parar para ler páginas ou ouvir minutos de explicação sem nem te conhecer?

Você precisa ganhar a atenção dos outros de forma rápida e direta. Por isso há tanto conteúdo hoje voltado para super-heróis, por exemplo. É uma ideia já vendida. “Meu filme/livro é sobre o Homem Aranha” já diz tudo o que a pessoa precisa saber. Mas se você não é famoso, como um Youtuber chique, ou se ninguém conhece sua história, como a do Homem Aranha, você não tem essa chance de pré-venda da sua história. Você precisa saber explicar muito bem. Por isso, a ideia é você explicar sua história em uma única frase. O pitch.

Sua única frase precisa ser Matadora. Arrebatadora. Tem que contar tudo o que a pessoa precisa saber e conquistá-la de uma só vez. O que a sua frase precisa ter?

  1. Ironia: A frase precisa mostrar o lado irônico da sua história, seja uma comédia, seja um drama. Por exemplo: “O ser mais improvável precisa salvar o mundo de todo o mal” (Advinha? O Senhor dos Anéis). Não é irônico?
  2. Imagem mental convincente: Ao ouvir sua frase, a pessoa tem que ser capaz de imaginar toda a sua história de uma vez. Além de levar a pessoa para o seu mundo, ela precisa prometer mais. Vamos melhorar a primeira frase? “Em um mundo fantástico de humanos, elfos, anões, magos e guerreiros, o ser mais improvável precisará salvar o mundo do de todo o mal”. Ao ouvir essa frase, eu já conheço o mundo e já quero saber como é que esse ser improvável vai fazer isso!
  3. Público: Sua frase precisa mostrar, já de cara, qual é o seu público, ou seja, quem vai comprar o seu livro. Na minha frase anterior fica claro que o livro é para quem gosta de aventura, fantasia, épicos. Ótimo!
  4. Um título matador: Estamos em uma era de títulos com uma palavra só, mas já reparou que filmes no Brasil sempre ganham um subtítulo nacional? Veja Busca Implacável (original: Taken)! Ele explica o que o filme é. É verdade que esses títulos nacionais são bobos, mas você pode pegar a ideia e usar da forma certa, não é? Influenciado pela moda dos títulos de uma palavra, eu chamei meu livro, inicialmente, de Um Reencontro. Eu ainda gosto dele, mas ele não diz de fato o que meu livro é. Todo livro praticamente tem um reencontro. Foi por isso que eu aceitei mudar para Beije-me em Barcelona. Fala de viagem, fala de romance, desejo. É perfeito! E o seu título também deve passar pelo teste de “qual é a sua história”.

Agora essa é a parte mais complicada: se você ainda não começou a escrever, então o primeiro passo com certeza é pensar na sua frase e no seu título. Eles vão ajudar você a estruturar sua história depois. Mas se você já tem uma história escrita e está tendo dificuldades em fazer uma frase e um título com esses elementos, talvez você precise mudar sua história.

Eu sei, eu sei. como abandonar uma história que você ama tanto? A verdade é que se você não consegue fazer uma boa frase e um bom título, então talvez sua história não esteja tão boa assim. É claro que você pode resolver manter a sua história e me deixar de lado, mas as estatísticas provam que se você não tiver uma boa apresentação, a pessoa não vai passar nem da sua contracapa ou da sua orelha. Talvez nem da sua capa mesmo.

A dica final, então, é fazer mais de uma frase e mais de um título, e pedir para as pessoas mais próximas, mas principalmente para pessoas desconhecidas, avaliarem. Diga o que você está tentando alcançar e peça ajuda. Para moça da padaria, para algum aluno da sua faculdade. Acredite em mim. Vale a pena. O bom de fazer isso pessoalmente (e não pelo computador) é que você pega a pessoa desprevenida, e aí você vai realmente saber se a sua história é interessante o suficiente para atrair uma pessoa apressada pra fazer outra coisa. Pensa nisso.

Resumindo:

O primeiro passo para uma boa história é ter um título e uma frase explicativa que dizem tudo o que o seu livro é e prometer ainda mais. E os dois tem que ter, de certa forma: ironia, imagem convincente e um público claro.

Gostou? Assista mais no Youtube!

Fabio
Fabio
Fabio Paiva Reis é historiador, doutor pela Universidade do Minho, em Portugal. Natural de Vitória, Espírito Santo, voltou para o Brasil em meados de 2013, quando começou a se dedicar a projetos pessoais. Escreveu “Beije-me em Barcelona”, seu primeiro romance, e foi premiado em um Edital do Funcultura 2016, da Secult-ES. Fotógrafo amador e nerd assumido, Fabio é casado com Thais, com quem tem duas lindas gatas, Jade e Mimi.

Deixe um comentário