Entrevista para a Simonetti Livraria

Clipping (Pense Comigo) – LIVRO Beije-me em Barcelona – Fabio Paiva Reis
30 de junho de 2017
Mirian Cavalcanti: “Beije-me em Barcelona é a promissora estreia de Fabio Paiva Reis”
4 de julho de 2017
Exibir tudo

Entrevista para a Simonetti Livraria

No dia 03 de julho, foi publicada minha entrevista para a Livraria Simonetti Sebo Virtual, uma livraria moderninha de Vila Velha-ES. Veja abaixo a entrevista na íntegra:

Entrevista

Nosso primeiro convidado é o escritor Fabio Paiva Reis, seu livro “Beije-me em Barcelona” será lançado no dia 14 de julho, às 19h, na Kaffa Cafeteria, quem é aqui da Grande vitória não pode perder!
Vamos conhecer o nosso Autor Capixaba? Segue a entrevista:

– Conte um pouco sobre você:

Bem, meu nome é Fabio, eu sou historiador. Terminei meu doutorado no começo deste ano e eu sou especialista em História do Espírito Santo colonial. Hoje, sou professor substituto no Ifes Campus Ibatiba, mas já trabalhei com coisas bem diferentes, como professor de inglês e como desenvolvedor de conteúdo para uma empresa de coaching. Eu sou casado com a Thais, e nossa história é tão interessante que acabou virando livro. Nós temos duas gatinhas, Jade e Mimi. Eu me considero um nerd e um fotógrafo amador. Adoro livros, filmes, de ficção científica, de fantasia, de romance. E sou feliz. Muito feliz!

– Como e quando começou a escrever e como é seu processo de criação?

Eu estava planejando escrever há muitos anos, mas comecei mesmo no início de 2016. Tinha o sonho de escrever, inspirado pelos meus autores favoritos e pelo meu pai, Jonas Reis, que é jornalista e lançou seu primeiro romance, O Santo dos Últimos Dias, em 2013. A coragem para de fato começar a escrever veio dos constantes comentários de que a história de como eu e minha esposa ficamos juntos era digna de um livro. Ouvi tantas vezes que resolvi fazer disso uma realidade.

O meu processo de criação envolve um outro sonho meu: o de escrever roteiros de cinema. Comprei livros sobre o assunto, e comecei alguns cursos. Aprendi muito sobre elementos essenciais em narrativas e sobre como estruturar uma história para ela ter todos esses elementos, e tudo acontecendo no momento certo. E foi assim que um dia eu conclui que poderia usar tudo isso para montar o meu livro.

Meu processo de criação, então, passa por três momentos importantes: o primeiro é estabelecer todos os pontos chaves da minha história e quando cada coisa vai acontecer; em seguida, divido minha história em cenas – quase como cenas de um filme mesmo, indicando local, ação, conflitos e mudanças emocionais para cada momento do livro; por fim, uso essas cenas como bullets, marcadores a partir dos quais eu escreverei minhas páginas. Desse jeito, consegui fugir do famoso bloqueio, porque sempre sei o que tenho que escrever.

Até agora, pelo menos, deu certo. Gostei tanto que resolvi fazer gravar um minicurso e colocar no Youtube. Espero ajudar outros autores iniciantes a terminarem seus livros!

– Você se inspira em algum escritor/escritora?

Acho que posso dizer que gosto dos ingleses. Desde a adolescência sou um fã de J. R. R. Tolkien. O Hobbit, O Senhor dos Anéis e seus outros livros moldaram não só meu gosto literário mas minha própria vida – por muito tempo fiz parte de um grupo de discussão sobre o autor, e muitos dos meus melhores amigos hoje são dessa época. Alguns anos atrás, descobri também Jane Austen, principalmente depois do filme de Orgulho e Preconceito, de 2005. Hoje ela também faz parte de mim – eu e minha esposa lemos todos os seus livros um para o outro, em voz alta. Seus romances são tão inteligentes e bem escritos, que não posso deixar de admirá-la.

– Fale sobre seu Livro:

Meu livro se chama Beije-me em Barcelona e conta a história de Isaque, um jovem brasileiro que vai estudar na Europa, onde se reencontra com Luísa, uma ex-namorada, e se descobre apaixonado por ela. De novo! Com um orçamento de estudante, Isaque vai passar a virada do ano em Barcelona, com Luísa e outros amigos, e tem menos de três dias para decidir se luta por ela, ou desiste de uma vez por todas.

A história é autobiográfica, flertando com a ficção. Apesar de muitos nos falarem que era nosso destino ficar juntos, eu queria mostrar, com o livro, que é muito mais que isso. Nossa história é uma história de reencontro e de perdão. E poder contá-la para o mundo é um sonho realizado.

Logo que acabei de escrever, inscrevi o livro no edital de Produção e Difusão de Obras Literárias do Funcultura 2016, da Secult-ES. Acabei sendo premiado, o que foi um grande incentivo para mim e me fez acreditar que tinha um bom livro nas mãos.

– Cite algumas partes do seu livro que mais gosta:

“Nesse momento, não tinha dúvidas de que a amava loucamente, mas que não havia nada a fazer, pois eu já tinha jogado tudo isso fora anos antes.”

“Não conseguia acreditar que, em poucos dias e conversas, nossa situação tivesse saído de uma mera amizade em nome dos velhos tempos para uma lendária esperança que provavelmente só existia do meu lado da história.”

“Aconteceu algo comigo enquanto eu estava em Madri. Eu vi a Luísa de dois jeitos lá. Por um lado, ela continuava a mesma pessoa maravilhosa que ela sempre foi. Por outro lado, ela parecia perdida, porque estava sofrendo de depressão, e eu senti uma vontade incontrolável de ajudá-la, e tive a certeza de que eu era a pessoa certa para estar do lado dela nos momentos difíceis.”

“Nós havíamos terminado o namoro cinco anos antes, mas eu nunca deixei de me importar com ela. Cuidar da Luísa sempre fez parte de mim.”

“Chega de achar que minha vez passou, que outra pessoa vai fazê-la feliz. Talvez não haja outra pessoa. Talvez seja eu mesmo. E eu decidi, ali, olhando para ela, que eu não iria desistir.”

 

– Rapidinhas Literárias:

Qual o primeiro livro que leu?

As Caixas que Andam. Ou então O Dedal da Vovó. Ainda tenho os dois, e são minhas lembranças mais antigas de leitura.

Livro que abandonou.

Uma vez abandonei Os Infinitos, do John Banville. Depois peguei de novo e terminei, mas preferia tê-lo abandonado de fato: não faz meu estilo e não foi prazeroso.

Livro que leu mais de uma vez.

O Senhor dos Anéis. Estou relendo agora – provavelmente pela quinta vez!

Livro que recomenda.

Persuasão, de Jane Austen. Ele não tem o mesmo destaque dos seus principais romances, mas é um livro muito lindo, com um amor que me lembra muito o meu.

O que está lendo no momento?

Além de O Senhor dos Anéis, a série As Aventuras de Sharpe, do Bernard Cornwell. Como historiador, creio que ler seus romances históricos são uma inspiração, um prazer e um aprendizado.

Se pudesse ser um personagem de um livro, qual seria?

Ellie Arroway, de Contato, do Carl Sagan. Contato tem uma história maravilhosa! Gosto muito do livro e o filme provavelmente é meu filme favorito.

Qual a maior loucura literária que já fez?

Acho que escrever um romance foi uma grande loucura!

Um sonho/desejo.

Escrever um romance que misture história e fantasia, duas coisas que amo de montão.

Um recado para os leitores.

Como falei, Beije-me em Barcelona conta uma história de amor muito minha e de minha esposa. A maior parte do que está lá realmente aconteceu. Muitas vezes com as mesmas palavras. O livro conta a nossa história. Do jeito que lembramos, do jeito que adaptamos em nossas cabeças e do jeito que achamos que seria bom compartilhar. Do jeito, por fim, que achamos que vocês também gostariam de ler. Espero que ela divirta, comova e inspire cada um de vocês.

Pra quem curtiu, segue as redes sociais do Fabio, confiram!

Redes sociais pessoais:

http://facebook.com/fabiopaivareis
http://instagram.com/fabiopaivareis
http://youtube.com/fabiopaivareis

Livro:
http://beije.me
http://facebook.com/beijemeembarcelona

O livro será lançado no dia 14 de julho, em Vitória. Depois disso, ele estará disponível em formato eletrônico na Amazon e em formato impresso diretamente no site oficial.

– Algo que queira acrescentar?
Muito obrigado pelo espaço! Autores independentes, como eu, precisam de espaços assim para divulgar suas obras e alcançar novos leitores.

Fabio
Fabio
Fabio Paiva Reis é historiador, doutor pela Universidade do Minho, em Portugal. Natural de Vitória, Espírito Santo, voltou para o Brasil em meados de 2013, quando começou a se dedicar a projetos pessoais. Escreveu “Beije-me em Barcelona”, seu primeiro romance, e foi premiado em um Edital do Funcultura 2016, da Secult-ES. Fotógrafo amador e nerd assumido, Fabio é casado com Thais, com quem tem duas lindas gatas, Jade e Mimi.

Deixe um comentário