parallax background

Representação e Ciência

Conhecimento Visual
13/08/2019
Eu li um livro de História e foi isso aqui que eu pensei sobre a situação atual do Brasil
14/08/2019

J. B. Harley foi um dos historiadores da cartografia mais bem sucedidos do século XX.

Mesmo antes de sua morte, carregava já uma aura mantida por inspirados seguidores de sua linha de pensamento. Não há como negar, de fato, sua contribuição para o desenvolvimento desta ciência. Ele foi o principal defensor da ideia de que mapas são e devem ser lidos como textos. Mesmo sem palavras, seu conteúdo passa informações tão claras que, assim como qualquer documento escrito, um mapa pode ser lido e analisado e criticado interna e externamente.

Em seu artigo Text and Context, publicado também na coleção de estudos The New Nature of Maps (A Nova Natureza dos Mapas, em português — uma homenagem póstuma ao investigador), Harley lança a importante frase, que simboliza algumas de suas principais ideias:

“Representation is never neutral, and science is still a humanly constructed reality.“ (A representação nunca é neutra, e a ciência é ainda uma realidade construída humanamente)

O que o autor queria dizer é que mapas nunca são inocentes, desprovidos de interesses. Há aqueles que discutem a facilidade com que Harley utiliza termos absolutos como nunca e sempre, mas é difícil discordar da afirmação, principalmente em relação à cartografia histórica, sempre tão cheia de vontades. Na conclusão, ele nos lembra que a ciência é feita por nós, e por isso mesmo falha, ou (em uma visão mais positiva) em construção. Isto afeta não só os mapas, alvos de uma ciência cartográfica a pleno vapor na Europa moderna, mas também a nós, historiadores, a estudar hoje esses mesmos mapas.

A representação nunca é neutra.

Fabio
Fabio
Eu sou criador de conteúdo, curioso sobre tudo e especialista em pesquisar no Google. Sou um historiador, um professor com doutorado e anos de experiência na criação de conteúdo para as áreas acadêmicas e de marketing, incluindo livros, artigos para web e posts em mídias sociais. Eu gosto de fazer as coisas acontecerem e de liderar pequenas equipes por influência para alcançar grande sucesso. Eu criei o projeto Spirito Sancto, que torna a História mais acessível, e uma editora para autores independentes. Eu também sou escritor, com um romance premiado chamado Beije-me em Barcelona e vários livros de História.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *